logo

Traslados


SHOWCAT DA MARTA E DO PEDRO MELO. DA FLORIDA A CAMPINAS

A Marta e o Pedrinho me pediram socorro. O Sergio Frigo havia comprado o AgCat transformado em ShowCat com a colocação de um assento dianteiro no lugar do “hoper” (depósito de produtos de um avião agrícola) , que eles necessitavam para realizar o sonho da Marta: exibir-se como WINGWALKING no Brasil.

Conheci a Marta lá no DAC quando ela “brigava” para obter autorização daquele órgão para a realização de seu show. Ela, enquanto Comissária da VASP, fizera seu curso nos EUA e queria trazer essa atividade para o Brasil.

O avião estava no Canadá. Ai pedi-lhes que o pusessem nos EUA pois não dispunha de tanto tempo para buscá-lo tão longe. 

Não lembro mais qual o nome da cidade dos EUA que eu fui apanhá-lo, apenas o indicativo do aródromo KSUA. Se soubesse que depois eu seria convocado para levá-lo ao Chile, para a FIDAE, teria ido até o Canadá pegá-lo. O meu mapa das Américas onde tenho plotados os traslados que fiz estaria bem mais interessante.

Em 27 de setembro de 1999 sai de Fort Lauderdale com o N4530. Seguindo meu planejamento, abasteci em Stella Maris e o primeiro pouso para pernoite foi em Providenciales onde dormi no Turquoise Reef, meu Hotel preferido na ilha.

De lá abasteci em Punta Cana e toquei para S. Maarteen onde dormi novamente, depois de ter voado 08:30 horas, bem mais que as 07:00 horas que voara na véspera.

Em S. Maarteen costumo alugar um carro e ir dormir em Port Marigot, a Capital da parte francesa da ilha. Lá tem uns restaurantes ótimos onde consigo comer a melhor sopa de cebola que conheço.

Na ida para abastecer em Grenada, passei ao lado da Ilha de Mont Serrat que teve seu aeródromo soterrado pela lava de um vulcão que entrou em erupção e quase acabou com a cidade. Fui dormir em Trinidad e Tobago. Lá a burocracia é sempre complicada e perde-se muito tempo no aeroporto. Devido a isso nunca fui até a cidade e sempre durmo num hotel que fica ao lado do aeroporto e que oferece o traslado de ida e volta, além de ter um bar com cerveja CARIB bem gelada.

Depois da decolagem e de ter deixado a costa Sul da Ilha, voei espremido entre duas fileiras de CBs e vi uma coisa inédita, pelo menos para mim. As ondas do mar apresentavam movimentos de diferentes direções, fenômeno que tentei registrar numa foto que está abaixo.

Novo abastecimento em Georgetown, capital da Guiana , ex-Guiana Inglesa, antes de prosseguir para Cayena na Guiana Francesa onde sempre encontro com meu amigo Jean Luc Dubas, um frances que trabalha na Sala AIS do Aeroporto Rochambeau. 

Sempre que passo por lá jantamos juntos, isso quando não durmo na casa dele e de sua esposa Stephanie, brasileira, nascida em Macapá. 

Desta vez tiramos uma foto com o Show Cat.

Cayena /Macapá e entrava no Brasil no dia 06 de outubro. Embora tendo voado apenas 03:35 horas, não deu para seguir adiante pois a burocracia da papelada tomou boa parte do dia.

No dia seguinte fui dormir em Porto Nacional depois de abastecer em Marabá.

De Porto nacional decolei bem cedinho e consegui uma bela foto do nascer do Sol.. Depois de abastecer em Uberlândia e voar outras oito horas como no dia anterior, cheguei no Campo dos Amarais em Campinas onde entreguei o avião ao seu proprietário. Foram 54:30 horas de vôo num avião de carlinga aberta que chegou a andar com uma VS-Velocidade no Solo de 90 kt, mas que me deu muito prazer de trazer, principalmente para ver realizado o sonho da marta e do Pedrinho Melo que até casaram para eternizar a dupla piloto/ wingwalking.

 

 

logo
O ShowCat N4530
Imagem da Ilha de Mont Serrat com a lava vulcânica cobrindo sua pista...
As ondas vindas de tres direções, como vi no traslado...
Primeiro o mar...depois a floresta. Eta lugarzinho ruim de voar....
O nascer do Sol em Porto nacional....madruga para conseguir chegar em Campinas