logo

Aventuras


VOANDO NA ALA DE UM ALEMÃO

Pousando no Santos Dumont após uma apresentação da Esquadrilha OI em Macaé-RJ, tivemos a felicidade de avistar no estacionamento daquele aeroporto o o avião anfíbio Dornier Do-24ATT que estava de passagem pela Cidade Maravilhosa.

Ele chegou ao Rio pousando no Campo dos Afonsos vindo de S. José dos Campos no dia 22 de fevereiro e está dando a volta ao mundo com o objetivo de levantar fundos para programas de educação da Unicef (agência da ONU para a infância) e também promover as Filipinas, base da aeronave, como destino para o turismo internacional.

Esse avião foi concebido para atender uma encomenda da Real Marinha Holandesa e voou pela primeira vez em 1937. Esse exemplar que passou por aqui foi construído em 1944 e retirado de serviço em 1970 quando então era usado pela Espanha na função de busca e salvamento. Entre 1979 e 1983 foi reconstruído pela Dornier visando testes para sua introdução na aviação comercial. O projeto acabou cancelado e a aeronave foi transferida para o Deutsch Museum em Munique, Alemanha. Em 2003 foi comprado por Iren Dornier, neto de Caudius Dornier, fundador da fábrica alemã de aviões Dornier Flugzeugwerke, e levado desmontado até as Filipinas, sua nova base onde foi remontado e certificado para vôo pelas autoridades locais. Recebeu o nome de batismo “Latina”. Em fevereiro de 2004 iniciou sua volta ao redor do mundo.

O Oswaldo do site www.sentandoapua.com.br e que está acompanhando a equipe desde sua chegada, nos trouxe o David, americano de Nova Iorque, fotógrafo e também co-piloto da equipe, pois eles queriam fotografar o Dornier sobrevoando o Pão de Açúcar, Baia de Guanabara e Cristo Redentor e, na tentativa feita na semana anterior o piloto do avião paquera não havia conseguido voar próximo e posicionar-se.

O Edo resolveu fazer um vôo com os três T6 voando junto com o Dornier. Ele decolou com o Laert para escrever nosso OI FM e pouco depois eu decolei com o David na ala do Dornier, ele na pista 20L e eu na 20R. Foi emocionante correr na pista ao lado desse avião do qual só vira as fotos do P-BAAA, o Dornier Wal batizado de “Atlântico” e que foi o primeiro avião da nossa VARIG, a pioneira. 

Depois da decolagem feita na proa do Pão de açúcar, escalonei para a esquerda de forma a deixar o Dornier entre nós e o morro, pois no brifim, fora dito que ele faria curvas pela direita. O Edo também já vinha reunindo pela esquerda quando o Cmte Iren Dornier “curvou” para a esquerda deixando todos numa baita “roubada”.

Eu subi e atrasei e mantive o contato visual, o Edo e o Laert passaram por baixo, meio que “espirrando” da formatura mas logo estávamos todos em forma.

Depois de várias passagens sobre a pista do Santos Dumont, Enseada de Botafogo e Pão de Açúcar, o Dornier com o Edo e Laert na ala e eu em volta para permitir ao David fazer suas fotos, pousamos os três na ala e aguardamos a chegada do Dornier que só cortou um dos motores para o embarque do David. Dali decolaram para Salvador, testando os tanques reserva e o sistema de transferência de combustível. De Salvador iniciariam a travessia do Atlântico para a África.

No domingo de Carnaval, dia 26 de fevereiro, o Dornier fez um pouso na hidropista do S. Dumont que fica ao lado da Escola Naval, paralela às pistas de asfalto. 

Desde 1957 quando deixou de ser usada pela aviação comercial, o RP-C2403 (prefixo Filipino do Dornier) foi o primeiro avião a fazer uso da mesma.

O Cmte Luiz Pedrosa já regularizou a pista junto ao SPU-Serviço de Patrimônio da União e agora fará sua homologação junto à ANAC-Agência Nacional de Aviação Civil e ao DECEA-Departamento de Controle do Espaço Aéreo. A hidropista será usada em operações comerciais de transporte de passageiros e, no próximo ano, será palco do primeiro rali internacional de aeronaves anfíbias.

O Cmte Dornier tendo como Copila o Cmte Luiz Pedrosa, pousou o Latina na hidropista onde era esperado por embarcações da Marinha do Brasil e particulares. Lá ficou por duas horas quando decolou de volta ao Campo dos Afonsos, não sem antes sobrevoar a orla do Rio até o Recreio dos Bandeirantes e alguns vôos rasantes na pista do Santos Dumont.

 

 

logo
O Dornier pousado no Campo dos Afonsos no Rio de Janeiro-RJ
O #3 da Esquadrilha OI decola do S. Dumont na ala do Dornier...
Eu, decolando na ala do Dornier