logo

Reportagens


MOSCOU AEROSALON 93 - International aerospace exhibition

Com a PERESTROIKA os russos também fazem o seu AIR SHOW. Acontece periodicamente no Aeroporto de ZHUKOVSKY nas proximidades de Moscou no início de Setembro e, este ano ainda teve apresentações no aeródromo que fica no centro de Moscou.ZHUKOVSKY é uma das antigas cidades secretas onde o acesso era controlado. Lá os estrangeiros não podiam entrar, pelo menos nos seus carros (na Rússia, as placas dos carros são diferentes para nacionais e estrangeiros residentes).

Neste aeródromo fica o TSAGI, um dos vários institutos que se ocupam do desenvolvimento aeroespacial naquele país e que merece uma matéria por si só tal a sua grandiosidade. Só túneis de vento subsônicos, transônicos e supersônicos para ensaios em grande escala tem mais de dez.

Na alameda de entrada do aeroporto existe uma galeria dos heróis russos onde fotos homenageiam os pilotos e as máquinas que voaram. Eram mais de 200 aeronaves em exposição. Impressionante a capacidade de se fazer um "LE BOURJET" com aeronaves fabricadas em um só país e apresentando tantas coisas exóticas na sua exposição estática. Estavam lá o BN-T ATLANT, conhecido no ocidente como BIZON feito para transportar o combustível da nave BURAN e do seu lançador, o ANTONOV 22 que também estava lá com seus seis reatores, o KA-50, helicóptero de combate com assento ejetável que fez uma belíssima demonstração em vôo de formatura. O BURAN é uma cópia da COLUMBIA americana como aliás existem várias cópias. Não sei quem copiou, se os russos ou os americanos.

O ALBRATOSS, um imenso bi-reator anfíbio com MTOW de 86000 Kg,capaz de levar 105 passageiros fez vários vôos inclusive brindando-nos com um tunô barril à baixa altura.

Majestoso o MI-26. Um helicóptero cuja fuselagem é aproximadamente do tamanho da do HÉRCULES C-130 e capaz de carregar uma carga externa de 20 ton. Tenho tudo filmado, inclusive o "SNAKE" feito pelos MIG 29 e SUKOI 27 que disputavam o lugar de melhor avião de caça do show. São bem parecidos e eu só identificava em vôo pela cor que já sabia de memória.

SNAKE é uma manobra inédita e que os russos executaram pela primeira vez num show aéreo fora da Rússa em Farnbourough no ano de 1991. A partir de um vôo lento (100KT), executar uma cabrada de 110 a 120 graus. É isto mesmo, passa quase para o dorso e retorna ao vôo normal empurrando o manche à frente.

Esta manobra só é possível pois estas aeronaves possuem a capacidade de deslocar o CG subitamente. É inacreditável assistir aquela aeronave gigantesca para um caça, à baixa altura, à baixa velocidade, cabrar até aquela atitude e voltar ao vôo normal. Sensacional também um vôo de formação onde um LISUNOV (DC-3 russo) liderava dois MIG 29.

Acrobacias à baixa altura em vôo de formação aconteciam a todo instante. Eram dois elementos um de MIG 29 e outro de SU-27, uma formação de um tipo de ALPHA JET fabricado na TCHEKOSLOVAKIA composta de 10 aviões, 6 helicóptero KA-50, realizando belas evoluções. Tinha uma esquadrilha de 4 YAK 18T, um avião de cinco lugares, trem retrátil, com boa capacidade de carga e muito robusto, também equipado com o M14P que, aliás, é o motor mais usado na aviação esportiva na Rússia. Detalhe: com duas pessoas a bordo (eu e o piloto russo) fizemos looping, avalanche, tunôs e hammerheads prá valer. Muito interessante a avioneta. Manobras radicais eram feitas pelos modernos aviões de acrobacia, como os SUKOI 26, 29 e 31 e o ACROBRAT, o último desenvolvimento da AVIATIKA fabricante dos ultraleves MAI 890 que já temos no Brasil comercializados pela SINOS CORP. AERONÁUTICA. O ACROBAT usa o mesmo motor dos SUKOI (M14P) de 360HP só que é menor. A relação peso/potência é maior que 1 e ele é capaz de subir na vertical. Tem como peculiaridade o assento reclinável para que o piloto possa suportar os 11 Gs positivos e negativos, além do flap de manobra (o flap deflete junto com o profundor, permitindo um raio de curva reduzido). Seu projetista, KASSIMIR está estusiasmado com os ensaios que estão na sua fase final. Agora serão fabricados cinco aeronaves que serão voadas pelos pilotos da equipe russa de acrobacia para verificar se realmente ele fará o LOMCEVACK a partir do vôo horizontal e se ele será capaz de derrubar o SUKOI 31 conforme prevê seu projetista que, por sinal, conhece o Brasil e adorou o Rio de Janeiro apreciado a bordo de um ultraleve em Junho/1992, quando ele passou uma semana por aqui.

Interessante a presença do YAK 55, antigo avião que incomodava nas competições ao lado do SLIN 50 e que agora, na sua versão modernizada, o YAK 55M, faz quase tudo que o SUKOI 26 faz e custa bem menos. Por sinal estão ensaiando um biplace para treinamento, o YAK 54, que dará o que falar.

Nos "STAND" mais de 300 empresas privadas e estatais apresentavam seus projetos em busca de sócios capitalistas para "bancar" o desenvolvimento dos protótipos.

Muitos destes projetos eram futuristas demais. Alguns, no entanto, pareciam viáveis e, caso dêem certo, revolucionarão a aviação nos próximos anos.

Um dos mais curiosos é o ECIP que tem projetados 5 modelos variando de 9 a 600 ton de peso podendo levar de 24 a 2000 (dois mil) passageiros a uma velocidade de 650 Km/h e pousando n'água e em terra sobre um colchão de ar, tipo um "owercraft". É um conceito novo, tipo fuselagem auto-sustentada (a fuselagem gera praticamente a sustentação necessária para transportá-la. O ECIP tem a forma de uma asa grossa com pequeno alongamento. Este formato permite combinar as funções de asa e fuselagem com 3 a 5 vezes mais capacidade de carga do que dos modernos jatos comerciais. Segundo o projetista, apresenta as seguintes vantagen sobre os aviões convencionais:

- 1,5 a 2 vezes mais econômicos na relação consumo/carga útil; -- - -----pouso e decolagem em qualquer tipo de pista, até mesmo n'água, necessitando uma pista curta pois corre apenas 500m para decolar;

- Baixa carga alar pois as cargas são distribuídas por todo o corpo do ECIP. 

Curiosidade é o INALET, uma aeronave para 18 lugares capaz de voar a 330Km/h com um alcance de 1000Km e que pousa e decola na vertical, usando um colchão de ar.

 

 

logo
Mig em exposiçao
Eu e o KASSIMIR, projetista dos MIG na festa de aniversário da Vice-Presidente da AVIATIKA
Um dos MIGs expostos numa linha , desde o primeiro até o último modelo